quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Post de Quinta - Terror

O post de quinta traz hoje dois livros de terror que poderiam ser lançados por aqui.

Don't Wake UpAlex Taylor acorda amarrada a uma mesa de operação.

O homem que está sobre ela não é médico.

A oferta que ele faz é totalmente indescritível.

Mas quando Alex desperta, ela está ilesa - e ninguém acredita em sua história horrível. Ignorada por seus colegas, sua família e seu parceiro, ela começa a se perguntar se ela realmente está ficando louca.

E então ela encontra a próxima vítima.



The Haunting of Rookward House
Ela está sempre observando... Quando Guy encontra uma escritura de uma casa no sótão de sua mãe, parece um incrível golpe de sorte. Claro, o prédio não foi habitado por quarenta anos e as videiras cobrem as paredes manchadas pelo tempo, mas Guy está convencido de que pode limpá-la e vendê-la. Ele seria louco em recusar dinheiro grátis. Certo? A casa fica longe de qualque outra localidade, e Guy não tem sinal de celular dentro do prédio antigo. Ele decide acampar lá enquanto faz reparos. Certamente, nada de ruim pode acontecer em uma semana. Mas há uma razão pela qual ninguém vive em Rookward House, e os quartos em ruínas não estão tão vazios quanto parecem ... Uma mulher perturbada atormentou uma família em Rookward quarenta anos atrás. Agora seu fantasma se apega ao edifício. Ela é amarga, obsessiva e ciumenta ... e uma vez que Guy se mudou para sua casa, ela não tem intenção de deixá-lo sair.


Quer participar do Post de Quinta? Mande suas sugestões aqui

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Entre Quatro Paredes _ B.A. Paris


Grace é a esposa perfeita.
Ela abriu mão do emprego para se dedicar ao marido e à casa. Agora prepara jantares maravilhosos, cuida do jardim, costura e pinta quadros fantásticos. Grace mal tem tempo de sentir falta de sua antiga vida.
Ela é casada com Jack, o marido perfeito.
Ele é um advogado especializado em casos de mulheres vítimas de violência e nunca perdeu uma ação no tribunal. Rico, charmoso e bonito, todos se perguntavam por que havia demorado tanto a se casar.
Os dois formam um casal perfeito.
Eles estão sempre juntos. Grace não comparece a um almoço sem que Jack a acompanhe. Também não tem celular, que ela diz ser uma perda de tempo. E seu e-mail é compartilhado com Jack, afinal, os dois não guardam segredos um do outro. Parece ser o casamento perfeito. Mas por que Grace não abre a porta quando a campainha toca e não atende o telefone de casa? E por que há grades na janela do seu quarto?



Às vezes o casamento perfeito é a mentira perfeita.

Resenha: Grace e Jack parecem ter o casamento perfeito. Não há brigas, Jack é amoroso com a esposa, sempre fazem viagens inesquecíveis para a Tailândia. Mas será que é possível que tudo seja tão perfeito assim?

Essa é a base do primeiro thriller de B. A. Paris publicado aqui no Brasil.
Grace conhece Jack enquanto leva sua irmã Millie ao parque. Millie tem síndrome de Down e Grace se encanta com a atenção que Jack dá para a menina.
Apaixonada a primeira vista, Grace logo se casa com Jack e percebe que as coisas não são em nada como ela imaginava.

A leitura alterna entre passado e presente. Achei interessante pois no passado somos apresentados a um Jack amoroso e companheiro e no presente sabemos que algo está errado mas ainda não sabemos exatamente o quê.

Achei o desenrolar um pouco lento, principalmente no início, talvez porque a história não possua muitos personagens.
O enredo em si é interessante, mas acho que faltou aprofundar a personalidade de Jack, temos apenas um pequeno vislumbre dela, mas não o suficiente para me convencer.
Millie é um refresco para nossos olhos. A menina é subestimada, mas parece ser a mais inteligente do livro.
Achei um bom final, mas um pouco inverossímil, pois para ele acontecer precisou de uma incrível combinação de fatores que na vida real não seria bem assim.
Em suma, é apenas um livro mediano. Vale a leitura apenas para passar o tempo. Não vá esperando um grande livro. 


Leia um trecho aqui.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Mindhunter - John Douglas, Mark Olshaker ( O LIVRO E A SÉRIE)

Conheci primeiro a série da Netflix de mesmo nome e depois que fui pesquisar, soube que ela foi inspirada no livro de John Douglas, agora agente aposentado do FBI.

O LIVRO

Mindhunter
O livro é de cunho biográfico. No início conhecemos John Douglas e toda sua história de como chegou ao FBI, dos times de beisebol e futebol americano que jogou na adolescência, da aspiração em se tornar veterinário, e posteriormente sua passagem pela Força Aérea. E como todas as experiências que ele teve na vida influenciaram na sua capacidade de analisar perfis de criminosos na Unidade de Ciência Comportamental do FBI na qual ajudou a montar.
Como é um livro biográfico a leitura da vida de Douglas é um pouco arrastada, porque, afinal, queremos saber sobre os perfis que montou, criminosos que encontrou. E a partir da página 80 que o livro começa a engrenar nesse sentido.
Nas páginas seguintes até o final o livro somos apresentados a dezenas de casos aos quais Douglas trabalhou diretamente ou seus colegas. 
São dezenas de serial killers e Douglas explica como chegou aos seus perfis e como isso ajudou a colocar criminosos perigosos atrás das grades.
Douglas expõe casos famosos como o de Charles Mason e casos que tiveram grande repercussão nos EUA e principalmente de serial killers. Mas não é só isso. Douglas nos dá um panorama de negociação de reféns, casos de envenenamento, assalto a banco e crimes cometidos por pessoas próximas à vítima.
O livro me lembrou um pouco o de Ilana Casoy que fez um panorama dos mais terríveis serial killers do mundo.
Se vc leu esse e gostou, com certeza gostará de Mindhunter.
Só como curiosidade, o caso que mais me chocou foi o do padeiro de Anchorage, no Alasca, que raptava suas vítimas, levava-as para a floresta e as caçava como animais.
Com certeza muito dos filmes de hoje foram tirados de casos descritos no livro.
Enfim, o livro vale a pena para quem tem interesse em casos reais e gosta de saber como é realizado o trabalho da polícia

Resultado de imagem para mindhunterA SÉRIE

Como disse conheci a série antes do livro e adorei. O diretor David Fincher, pra mim, é sensacional e não decepciona nesse novo trabalho.
A série tem alguma licença poética do livro, como não deveria deixar de ser, mas muito das informações do livro são ditas de forma quase literal na série.
A série começa com o início da Unidade de Ciência Comportamental no FBI e como as entrevistas aos criminosos eram feitas na prisão e evolui para quando os agentes começaram a ajudar policiais de todo o país a solucionarem crimes e ensinar técnicas de interrogatório.
Só achei 10 episódios pouco pelo que a série podia apresentar e também achei fraco os dois últimos que deveriam nos preparar para próxima temporada e no final senti que ficou um anticlímax.
Enfim, a série é muito boa, mas se pudesse recomendar, falaria para ler o livro primeiro e depois ver a série.
A segunda temporada já foi confirmada e trará os assassinatos de crianças ocorrido em Atlanta. Se for retratada como no livro será imperdível.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Post de Quinta - Thrillers

Post de quinta de volta, trazendo os livros que foram publicados lá fora e que queremos que publiquem aqui ;)


Hoje vamos falar sobre dois thrillers recentemente publicados lá fora e que estão fazendo o mair sucesso. O primeiro, The Breakdown, de B. A. Paris, promete ser um suspense psicológico de primeira. Lembrando que recentemente foi publicado aqui o livro Entre Quatro Paredes, do mesmo autor.

O segundo, Stillhouse Lake, de Rachel Caine, foi publicado mês passado lá fora e ao que tudo indica será uma série.

The Breakdown
Se você não pode confiar em si mesmo, em quem você pode confiar?


Cass está tendo dificuldade desde a noite em que viu o carro no bosque, na estrada rural sinuosa, no meio de um aguaceiro, com a mulher sentada dentro - uma mulher que foi assassinada. Ela tentou esquecer o crime; O que ela poderia ter feito realmente? É uma estrada perigosa no meio de uma tempestade. Seu marido ficaria furioso se soubesse que ela havia quebrado sua promessa de não pegar esse atalho para casa. E ela provavelmente só teria se ferido se ela tivesse parado.

Mas desde então, ela tem esquecido todas as pequenas coisas: onde ela deixou carro, se ela tomou suas pílulas, o código de alarme, porque ela pediu um carrinho quando ela não tem um bebê.

A única coisa que ela não consegue esquecer é aquela mulher, a mulher que ela poderia ter salvo e a terrível culpa.

Ou as chamadas silenciosas que ela está recebendo, ou a sensação de que alguém a está observando ...
***
Stillhouse Lake (Stillhouse Lake, #1)

Gina Royal é a definição de mediana - uma tímida dona de casa do meio-oeste com um casamento feliz e duas crianças adoráveis. Mas quando um acidente de carro revela a vida secreta de seu marido como um assassino em série, ela deve se refazer como Gwen Proctor - a melhor mãe guerreira.

Com seu ex agora na prisão, Gwen finalmente encontrou refúgio em uma nova casa no remoto lago Stillhouse. Apesar de ainda ser o alvo de perseguidores e trolls da Internet que pensam ter algo a ver com os crimes do marido, Gwen ousa pensar que seus filhos podem finalmente crescer em paz.

Mas quando ela está começando a sentir-se à vontade em sua nova identidade, um corpo aparece no lago - e cartas ameaçadoras começam a chegar de um endereço muito familiar. Gwen Proctor deve manter os amigos próximos e os inimigos na baía para evitar ser exposta - ou ver seus filhos serem vítimas de um assassino que tem prazer em atormentá-la. Uma coisa é certa: ela aprendeu a lutar contra o mal. E ela nunca vai parar.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Resenha - Jantar Secreto - Raphael Montes


Polêmico e sangrento
Jantar Secreto

Sempre tive curiosidade em ler Raphael Montes mas sempre fui adiando sempre em busca da melhor história.
Quando li a sinopse desse livro achei o tema único e comecei a leitura.

No livro conhecemos 4 amigos que saem de Pingo D'agua, uma cidade no interior do Paraná, em busca seus sonhos na cidade grande, no caso no Rio de Janeiro.
Com o tempo a frustração de não te seus objetivos alcançados e o fato de que terão que voltar para cidade natal caso não consigam pagar o aluguel do apartamento em Copacabana os fazem organizar um jantar secreto com pessoas selecionadas para provar carne humana.
O que era para ser um jantar se transforma em vários e todos os personagens são testados até que ponto iriam para realizar seus sonhos.
O livro é dinâmico, com um humor negro impagável, destaque para conversa por whastapp quando os 4 amigos buscam o primeiro corpo para servir no jantar.
Se vc tem estômago fraco talvez esse livro não seja para vc. O autor descrever minuciosamente a preparação do jantar, então muito sangue rola por aí...rs
Como todo bom livro policial ele é cheio de reviravoltas. Só achei que perdeu um pouco o fôlego no final, pois já tinha uma ideia do que aconteceria e acho que ficaram pontas soltas na história, mas nada que comprometa a diversão.

Se você gosta de humor negro, boa dose de suspense e muito sangue esse livro é imperdível.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Resenha - Esposa Perfeita - Karin Slaughter

Esposa Perfeita

Antes de começar essa resenha, é bom deixar claro que este livro faz parte de uma série, sendo o oitavo livro publicado :0.

Aqui no Brasil foram publicados os dois primeiros livros e a ed. Record pretende lançar o terceiro (Gênesis) ainda este mês.

Para lê-lo não é necessário ter lido os outros livros, pois todos são histórias independentes mas talvez vc sinta que existam pontas soltas pois o relacionamento dos personagens já está avançado.

Dito isso, vamos ao livro :)

A história começa com o corpo de um ex policial sendo encontrado em uma boate de um famoso jogador de basquete, que a poucos meses foi acusado de estupro em um caso investigado por Will Trent.
Conforme o livro se desenrola percebemos que Will está muito mais envolvido neste crime do que deseja, já que sua ex mulher louca pode ter sido morta no mesmo local ou ainda estar viva e precisando de ajuda.
Correndo contra o tempo, Will conta com sua atual namorada Sara Linton para resolver esse mistério.
O relacionamento dos dois é posto à prova e descobrimos mais sobre Angie, ex mulher de Will, que desde de sempre tem sido uma pedra no sapato dos dois.
O que mais gostei no livro foi exatamente isso. Saber mais sobre a motivação dela e até consegui sentir compaixão por ela...mas foi por pouco tempo, porque a mulher é o capeta...rs.
O livro tem boas reviravoltas e se vc já leu os outros vai gostar de como os personagens se desenvolveram.
O que mais gosto nos livros da Karin é que os personagens não são perfeitos, todos tem seus problemas e lutam para melhorar, como na vida real.
Por isso a leitura é fácil, o livro é dinâmico, vc nunca consegue saber exatamente o que vai acontecer e as soluções nunca são fáceis. 
Os personagens são bem aprofundados e fáceis de simpatizar ou de odiar...rs.
É uma pena que a editora preferiu publicar o último livro da série em vez de publicá-lo na ordem, pois muito dos desdobramentos dos relacionamentos dos personagens ficou para trás.

Mas ainda sim é um bom thriller, que vale para despertar a curiosidade para a série.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Resenha - Na escuridão da mente - Paul Tremblay

Na Escuridão da Mente


Assustador....mas nem tanto


Amo filmes de terror. Quanto aos livros, dificilmente eles conseguem me causar o mesmo impacto, talvez por considerar o terror algo mais gráfico.
E esse livro não foi diferente.

Nele acompanhamos Merry, que quinze anos depois do exorcismo de sua irmã Marjorie narra os fatos ocorridos naquele fatídico episódio para uma escritora que deseja publicar sua história. Detalhe: tudo isso foi apresentado em um reality show na época.

O autor dividiu o livro em três períodos que se alternam: presente, passado e informações dadas por uma blogueira que analisa o reality show.

Somos transportados para os problemas familiares dos Barrets. O pai das irmãs perdeu o emprego há algum tempo e tem dificuldades em conseguir outro. Além disso, episódios frequentes de loucura de Marjorie vão levando a família ao limite. Com fanatismo exacerbado, o pai de Merry procura o padre da paróquia que sugere o exorcismo.

Como parte do livro é narrado no passado por Merry, que tinha oito anos na época, não sabemos como tudo se transformou em um reality show. E acho que isso é uma ponta solta na história.

Coisas estranhas acontecem e em vários momentos o leitor é posto em dúvida se a menina está realmente possuída ou tudo faz parte de problemas mentais.

Quanto ao tema exorcismo, você não verá nada além do que já viu em filmes como Exorcista ou O Ritual, inclusive o próprio livro faz menção a isso.    

Achei que o autor não aprofundou nenhum de seus personagens, tornando-os rasos e sem motivação e, pelo menos para mim, nenhum deles foi cativante, nem mesmo as irmãs. 

Só após o exorcismo que o livro engata. E na minha opinião, o livro só vale a leitura por causa do final, que em nenhum momento esperava algo parecido.

Vale para quem gosta de terror, mas não deve esperar madrugadas em claro por causa do livro.