quinta-feira, 9 de junho de 2011

Peregrinos - Elizabeth Gilbert

Neste mês a editora Alfaguara lança mais um livro de Elizabeth Gilbert, mesma autora do bestseller Comer, Rezar, Amar.


A antologia de contos de Elizabeth Gilbert, Peregrinos, chama a atenção pela riqueza de lugares e dos tipos humanos descritos. Todos, em comum, se encontram em situações de transitoriedade em meio à busca acirrada por suas descobertas individuais. Em seu debut literário de 1997, a autora do best-seller  Comer, rezar, amar (Objetiva) apresenta uma narrativa direta, que introduz o leitor de imediato no cerne das tramas e deixa em aberto os desfechos.  
As doze breves histórias que compõem o livro são marcadas por diálogos curtos e os personagens se apresentam em recortes instantâneos. As narrativas ambientam-se nos mais diferentes cenários dos Estados Unidos e mesclam situações que vão do corriqueiro ao bizarro, pautadas por uma pitada de humor e redenção.
Na história que dá título ao livro, uma garota durona da costa leste desafia um caubói do oeste a fugir com ela. Em “O famoso truque do cigarro aceso e cortado que reaparece inteiro”, uma família de imigrantes húngaros luta por redenção em Pittsburgh. Já em “No Mercado Central de Hortaliças do Bronx”, um trabalhador ingênuo dedica-se a uma questão de honra trágica e impossível: acredita que pode concorrer à presidência de um sindicato controlado por uma quadrilha de criminosos.O livro foi escolhido pelo New York Times como um dos títulos notáveis de 1997 e finalista do prêmio PEN/Hemingway. O conto Peregrinos chegou inclusive a ser publicado na prestigiada revista literária Esquire, em 1993, sendo Gilbert apresentada na ocasião com o subtítulo: “A estreia de uma escritora norte-americana”.

Sobre a autora:
Elizabeth Gilbert (www.elizabethgilbert.com) é autora do best-seller Comer, rezar, Amar, do romance, Stern Men (“Homens sisudos”, inéditos no Brasil), e de um livro de não-ficção, The Last American Man (“O último homem americano”, também inédito no Brasil, indicado ao National Book Award e escolhido pelo The New York Times como um dos livros notáveis de 2002). Escreve para a revista norte-americana GQ, onde recebeu duas indicações para o National Magazine Award por seus artigos. Elizabeth Gilbert vive hoje na Filadélfia.

O que andam falando sobre o livro:
“Concebido com cuidado e absoluta precisão. Com frases sólidas como paredes de tijolo.”Time Out New York

“Gilbert realiza a façanha invejável de contar as histórias de suas personagens nas palavras delas, sem pompa ou presunção.” — The New York Times Book Review

“Uma coletânea superior de contos sobre mulheres que são tão fortes quanto aparentam, mas não tão fortes quanto imaginam.” — Glamour

0 comentários:

Postar um comentário